terça-feira, 15 de dezembro de 2009

A HOMENAGEM AO ESCRITOR NILSON MELLO



No encontro de encerramento das atividades deste ano, no dia 11 de dezembro, o grupo de participantes do "Clube da Leitura" promoveu uma homenagem ao escritor e teatrólogo catarinense Nilson Mello.
Ele é um ícone da literatura infantil catarinense, um exemplo de dedicação e humildade. Um homem que enfrentou dificuldades para estudar durante a infância e a juventude e, ao longo de sua vida, dedicou-se a oferecer oportunidades de leitura para um número infinito de crianças, especialmente àquelas que não podiam pagar. Editou seus próprios livros e doou mais de 8.000 exemplares.
Hoje com quase 82 anos já não vai mais pessoalmente às escolas levar alegria e um pouco de sonho às crianças. Seus livros continuam e continuarão fazendo isso por ele.
A ideia de homenageá-lo partiu de uma das integrantes do projeto, a Hilda. É claro que uma ideia tão boa assim foi prontamente aprovada pelas demais.
E para demonstrarmos toda a nossa gratidão a esse generoso escritor, o grupo chamou um reforço: a escritora e contista Inês Carmelita Lohn.
Ela rapidamente elaborou um belo texto, resumindo a história da vida e da obra desse escritor catarinense que completará 82 anos em 26 de dezembro deste ano.
Sabe aqueles textos que só uma escritora poderia ter feito, porque brinca com as palavras de forma a despertar emoções e provocar risos ao mesmo tempo? Esse é o texto da Inês, o qual ela intitulou de " O menino arteiro, o Homem artista" e que termina assim:
"Leva a vida leve como um pássaro. Voa em busca de suas conquistas literárias. Se não encontra um lugar para se abrigar, recomeça seu voo em um novo rumo, porque acredita que, lá na frente, um dia, terá um lugar onde poderá pousar para saborear o gosto das suas letras em forma de histórias."
Veja o texto na íntegra, acessando o item textos do blog:

Mas a homenagem não parou por aí. O grupo do "clube da leitura" também preparou um vídeo com mais informações sobre o escritor Nilson Mello. Aí está ele:
video

Encontro com a escritora Maria de Lourdes Krieger


No dia 10 de dezembro, a escritora Maria de Lourdes Krieger encerrou os encontros com escritores catarinenses com crianças das escolas pertencentes à Secretaria Municipal de Educação de Florianópolis. A Escola Desdobrada Lupércio Belarmino recebeu a escritora com uma encenação sobre uma de suas obras, "Irmão Sanduiche", e um gostoso café ao final. A auxiliar de biblioteca da escola, Eraci, trabalhou quatro livros da escritora com alunos e alunas do 1º ano à 4ª série. As crianças falaram sobre suas preferências. Alguns gostaram mais de "O destino de redondinho". Outros de "Ana levada da breca". Eraci confessou que "Vovó quer namorar" foi o livro que mais a atraiu, tanto que, para apresentar a peça encenada, ela se vestiu de vovó. A dedicação dessa profissional é visível pelos trabalhos que desenvolve com as crianças. Ela relembrou as obras da escritora catarinense lidas com os(as) alunos(as). As crianças fizeram perguntas sobre as obras e sobre a vida da autora. Elas também a presentearam com flores e cartinhas. A escola foi mostrada para Maria de Lourdes, incluindo os trabalhos que estavam em exposição. Parabéns a Eraci e às crianças por todo o envolvimento com a leitura. Agradecemos a escritora por ter atendido ao pedido dessa escola.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

A AMÁVEL ESCRITORA YEDDA DE CASTRO GOULART



A escritora catarinense Yedda de Castro Goulart visitou as crianças do 3º ano, da Escola Municipal Osmar Cunha, no dia 09 de dezembro. Elas tomaram conhecimento da obra "Aventuras na Ilha da Magia" pela bibliotecária Lidyani que, além do excelente trabalho com o livro, promoveu uma discussão, com a colaboração das professoras Helena e Mariléia, em torno do filme da mesma obra. As crianças fizeram desenhos sobre a história da princesinha Carolina e do príncipe peixinho Lúcio, também conhecido como Netinho, o filho do rei Netuno. A autora olhou e comentou sobre os desenhos, que ficaram expostos na biblioteca. Disse para os alunos e as alunas que eles(as) fizeram ilustrações da história, ressaltando aquele elemento que mais chamou a atenção de cada um(a) deles(as). Explicou a elas que a ilustração faz parte da história e que, hoje em dia, a profissão de ilustrador é muito valorizada. As crianças ficaram hipnotizadas ou encantadas diante da autora. Demonstraram o quanto gostaram da obra e do filme. Tinham muitas perguntas para fazer a ela, e todas muito pertinentes, demonstrando o quanto elas se envolveram com a história do príncipe peixinho que viveu uma "aventura no mundo dos seres humanos" com a ajuda da princesa Carolina. Uma das primeiras perguntas foi justamente sobre a ilustração. Queriam saber por que as personagens foram desenhadas sem rosto. A autora, com toda a sua experiência de sala de aula, explicou às crianças que a ilustradora Vera Lúcia Melim Borges, ao desenhar as figuras dessa forma, pensou em deixar a imaginação de cada um(a) se manifestar. Assim cada leitor ou leitora poderia, por exemplo, imaginar o seu próprio rosto na personagem que mais se identificasse. A gentil Yedda também disse aos pequenos que escolheu o nome de Lúcio para o peixinho, porque este nome significa luz. Alunos e alunas também fizeram questões comparando livro e filme. Perguntaram por que alguns personagens do livro não apareceram no filme e vice-versa. Yedda explicou a elas que esses detalhes foram decididos pelo estúdio onde o filme foi produzido e que estavam relacionados à questões financeiras. Também disse às crianças que foram necessários 15.000 desenhos para produzir o filme e que este levou um ano para ser produzido. A também autora de "Aventuras na Serra" e organizadora da antologia "Presença da Literatura Infantil e Juvenil em Santa Catarina", entre outras obras, trouxe presentes para as crianças. As vinte revistinhas, com atividades e histórias em quadrinhos, foram sorteadas para dez alunos em cada turno. Um exemplar foi doado à biblioteca e outros dois foram entregues às professoras. Essa conversa entre autora e crianças foi, sem sombra de dúvidas, imensamente produtiva e agradável, certamente trouxe contribuições valiosas para todas as pessoas envolvidas. Por tudo isso, agradecemos muitíssimo à amável escritora por ter-nos dado a honra e o prazer de sua agradável e importante companhia naquele dia, o qual ficará sempre guardado na lembrança de cada um(a) de nós. Também parabenizamos a bibliotecária e as crianças pelo brilhante envolvimento nesse trabalho.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

A conversa de Alcides Buss com crianças do 1º ano


O escritor Alcides Buss foi recebido com carinho por crianças do 1º ano , juntamente com a bibliotecária Lidyani e as professoras Mirian e Luciane, na Escola Municipal Osmar Cunha, no último dia 04. Ele, que já nos deu a honra de sua presença em outra escola do município, contou histórias de sua infância e respondeu às questões de alunos e alunas com muita simpatia e tranqüilidade. As crianças tiveram acesso aos poemas de "A poesia do ABC" pela bibliotecária Lidyani, que fez um trabalho envolvente com elas a partir dessa obra. Além do trabalho com os poemas, ela também contou um pouco sobre a vida do escritor para as crianças. Em seguida, com a mediação das professoras, os pequenos fizeram desenhos para o autor. Eles sabiam, por exemplo, que ele gostava de jogar futebol, mas desistiu de ser goleiro depois que levou uma bolada na "boca do estômago". O escritor esclareceu a curiosidade dos pequenos sobre a obra lida. Ele explicou a eles que resolveu escrevê-la quando seus dois primeiros filhos eram pequenos e pensou na questão da alfabetização. Por isso, escreveu um poema para cada letra do alfabeto. Assim provocou a participação das crianças, perguntando a elas sobre as formas de nos referirmos às letras do alfabeto: abc, abecedário, alfabeto. Os pequeninos logo quiseram demonstrar que estão com as letras "na ponta da língua" e "cantaram" o abecedário todo para o escritor. Agradecemos a Alcides Buss por mais essa valiosa contribuição dele, proporcionando aos(às) nossos(as) jovens leitores(as) mais uma experiência motivadora e inestimável.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

A Homenagem à escritora Eloí Elisabete Bocheco


A Escola Municipal Anísio Teixeira promoveu uma homenagem à escritora catarinense Eloí Elisabete Bocheco no dia 1º de dezembro. Coordenado pela bibliotecária Hilda e pela professora Rosicler o encontro foi muito bem planejado. O auditório da escola estava repleto de crianças ávidas por esclarecer suas curiosidades sobre a idealizadora da bruxinha Elisa; as mesmas crianças que partiticiparam da confecção de lembrancinhas simplesmente mágicas, como a abóbora, contendo pequenas tiras de papel onde estavam registradas algumas crendices populares. Aliás, o detalhe na foto acima mostra uma parte da encantadora mesa, que organizaram para receber a autora de: "O pacote que tava no pote", "A chave que o vagalume alumiou", "Contra feitiço, feitiço e meio" "Gaitinha tocou, bicharada dançou". Como se isso tudo não bastasse, houve leitura de uma história criada e ilustrada por uma das alunas presentes e também a apresentação das crianças, acompanhadas pelo professora Rosecler, ao violão, de uma música parodiada para homenager a escritora; além de entregarem a ela, uma a uma, varinhas de condão confeccionadas pelas próprias crianças. Tudo muito emocionante. A escritora retribuiu respondendo com sua característica delicadeza a todas as questões que alunos e alunas fizeram a ela, sobre a vida pessoal e a trajetória da produção literária de Eloí. Ela também leu seus poemas favoritos de suas obras "Uni ...duni ...Téia" e "Pomar de brinquedo", com a participação da platéia é claro. O encontro contou também com a colaboração do contador de histórias José Manoel que provocou reflexões, risos e a partiticipação das crianças. Foi muito gratificante perceber que toda a equipe de profissionais da escola esteve envolvida nesse evento. A diretora Cláudia esteve presente durante todo o encontro, ajudando na organização, orientando as crianças e muito mais. A orientadora, as colegas da sala informatizada, professores de projetos, cozinheiras, o pessoal da limpeza, alguns professores e professoras da escola envonveram-se de forma cooperativa para que o evento tivesse o sucesso que teve. Prepararam, organizaram e serviram uma mostra da culinária de diversas nacionalidades e regiões, com a orientação dos professores de projetos. Havia a mesa da comida baiana, outra da comida síria, japonesa... Parabéns a todas as pessoas envolvidas, em especial às organizadoras Hilda e Rosicler pelo brilhante exemplo de cooperação e pela significativa experiência oferecidos aos jovens leitores e leitoras das turmas 31, 41 e 42.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

A simpática visita da escritora Giovana


A jornalista e escritora Giovana Terezinha da Silva Rutkoski visitou ontem, dia 30 de novembro, a Escola Municipal Antônio Paschoal Apóstolo. A autora de "O sonho de Juvenal" respondeu a todas as perguntas dos alunos e das alunas com muita simpatia. As crianças queriam saber qual foi a motivação dela para ter escrito um livro aos 10 anos de idade. A atual jornalista e professora da UFSC revelou às pessoas presentes que a palestra da professora e escritora Maria de Lourdes Krieger foi o seu maior impulso. Ela e mais três colegas ficaram tão animadas com o que a professora lhes falou que saíram da palestra prometendo escrever um livro cada uma. Mas só ela o fez. A inspiração para o tema a ser desenvolvido na história veio em um dia de sol, em cuja tarde surgiu um belo arco-iris, após uma chuva passageira. Muitas outras curiosidades das crianças foram esclarecidas com todo o carisma da escritora, inclusive que ela já escreveu outro livro, o qual será editado em breve. Foi uma bela demonstração de reconhecimento do trabalho das professoras Terezinha e Olga e do envolvimento dos alunos e alunas. Aliás não se pode deixar de citar a homenagem das crianças. Elas produziram textos e os ilustraram, revelando seus sonhos de vida. Depois, construíram um belo arco-iris que envolveu todas as produções. Um belo trabalho, mediado pelas participantes do Clube da Leitura. Também colaboram com esse encontro os contadores de história da UFSC, José Monoel e Vera, os quais provocaram nas crianças reflexões e boas risadas. Além deles, foi de grande importância a participação ex-aluna da escola, Bruna, que leu o poema de sua autoria "Ilha Querida", oferecendo mais um bom exemplo para as crianças. Agradecemos a todas as pessoas que se decicaram para que esse encontro acontecesse de forma tão significativa e marcante para nossos jovens leitores, em especial à escritora Giovana pela sua agradável presença.